terça-feira, 1 de dezembro de 2015

IMBELEZÔ

quando a beleza é poço
o que fica da gente é camada sobreposta indescoberta

é mergulho em buracos concretos,
a procura do líquido,
escavar da areia

quando a beleza é poço
o qu'imbeleza da gente não está para qualquer queira

são dez dedos raspando o que fossa
retornar ao recôncavo outro
de recordares baianos

quando a beleza é poço
rendido estar de não há mais q'eu possa




3 comentários:

Ana Carolina Pais de Souza disse...

Lindo tbm!
Esse foi pra Maria. Certeza!

Bárbara Esmenia disse...

Maria?

[gratidão]

Bárbara Esmenia disse...

Ah, dona Maria, certamente :)